quinta-feira, 4 de janeiro de 2018

Mutantes a banda

Mutantes a banda


Eu comecei a minha carreira de “escutador” de musica muito cedo ouvindo musica italiana dos velhos e pesados discos de um tio, devia ter uns 5, 6 anos e depois completaria isto com outros sons de um aparelho, radio que ficava num canto da cozinha de casa. Comprei um primeiro compacto simples, musica brega e depois veio a Jovem Guarda e logo em seguida juntando tudo, Beatles.

Na época depois de ouvir Beatles o que eu poderia colocar naquele nível aos 10 anos ? Eu ainda não tinha chegado aos Stones, Led, Hendrix, Black Sabbath, Purple e isto foi um pouco mais adiante e outra história, mas aos 10 depois de ouvir e ver Beatles na TV não tinha nada pra colocar no lugar mas foi justamente quando conheci o som dos Mutantes e como eles estavam bem influenciados pela rapaziada de Liverpool aquela sonoridade me pegou, só que o que tinha além no som dos mutantes é que havia ali uma sacada deles o que é bem uma coisa de Paulistano, Paulista, mesmo do ABC, tirar onda com o cotidiano, criar em cima disto...” Aquelas pessoas na sala de jantar...” esta frase é bem isto, uma sacada do que esta acontecendo na sua volta, com muita inteligencia e humor, simples e aí outras tantas musicas, uma banda muito criativa, arte e com cara de SP...(Vanderlei)









quarta-feira, 3 de janeiro de 2018

Em ‘momento bicho grilo total’, Rita Lee chega aos 70 anos e fala sobre planos

https://www.reporterdiario.com.br/noticia/2449296/em-momento-bicho-grilo-total-rita-lee-chega-aos-70-anos-e-fala-sobre-planos/ 

Quando tinha 30 anos, Rita Lee (foto) lançou Modinha. “Ai, quem me dera um dia ficar de papo pro ar tirando um som numa viola”, diz o refrão da delicada música, estranha no ninho do roqueiro álbum Babilônia, o último gravado com a banda Tutti Frutti. Parece uma pista do que Rita Lee queria para si dali para a frente, depois de experiências intensas como a saída dos Mutantes e uma temporada na prisão por ter sido acusada de portar maconha. A recente chegada de Roberto de Carvalho em sua vida sugeria menos barulho e mais calma.
Ao lado de Roberto, Rita promoveu uma nova transformação no pop brasileiro, privilegiando as sutilezas amorosas. Mania de Você, Baila Comigo e Caso Sério foram por esse caminho. Mas excessos, vícios e superexposição não lhe deram a paz que encontrou em 2012, quando anunciou sua aposentadoria dos palcos. De lá para cá, ela tem feito raras aparições públicas e vem se dedicando à literatura. Escreveu uma autobiografia em que se expôs com sinceridade, além de Storynhas (2013), ilustrado por Laerte, e Dropz (2017).
Rita faz 70 anos neste domingo (21/12), do jeito que quis um dia. De papo pro ar em sua chácara nos arredores de São Paulo, tirando um som quando quer, cuida da horta e de bichos num eterno domingo. Ela respondeu a perguntas da reportagem por e-mail sobre a chegada da nova idade. Diz estar “dando corda” para a escritora e ter músicas inéditas. Shows, nunca mais. “Estou num momento bicho grilo total, enfurnada na toca que é meu universo cheio de bichos e de plantas”.
A passagem do tempo foi bem retratada na sua obra. Visões do que poderia ser o futuro (‘2001’), lembranças do passado (‘Eu Sou do Tempo’) e o cotidiano apressado (‘Corre-Corre’), só para citar algumas músicas, mostram que você esteve pensando nessas questões. Chegar aos 70 anos é um estímulo para valorizar o que fez de bom ou pensar no que pode fazer daqui para a frente?
As duas coisas… Eu me orgulho de ter sido quem fui, das músicas que fiz, dos shows que apresentei. Agora estou com tempo de sobra para novas experiências empolgantes, como brincar de ser dona de casa, pintar quadros, cuidar da horta, lamber meus filhos e bichos, escrevinhar histórias, acompanhar os netos e aprender com eles sobre as modernidades do mundo.
Quando você estava quase chegando aos 50 anos, lançou um rock chamado ‘Menopower’, com letra que falava em “cinquentona adolescente”. Essa adolescente ainda está aí? Ou a maturidade a deixou escondida?
A criança, a adolescente e a madura estão lá no meu arquivo existencial, basta puxar e revivê-las quando quero. Experimentei todas intensamente. Minha nova fase de velha está sendo mais serena e sarcástica, mas não menos interessante.
Rita Lee – Uma Autobiografia’ foi um sucesso editorial em um país que lê pouco, e logo depois veio ‘Dropz’. A escritora vai substituir a cantora e compositora ou as duas têm convivido numa boa?
A cantora se aposentou dos palcos mas não da música, continuo compondo como sempre fiz, só falta lidar com minha preguiça para encarar um estúdio. A escritora ainda é novidade para mim, o ‘santo’ anda baixando naturalmente e eu apenas lhe dou corda.
Há algum tempo saiu uma caixa com a maior parte da sua discografia, e você postou uma foto dela no Instagram dizendo ‘De quando eu era artista’. Esse distanciamento permitiu que você escutasse novamente esses álbuns de uma outra forma?
Depois que mixava um disco, nunca mais tinha saco de ouvir e continuo assim até hoje, não sou uma velha saudosista. Essa caixa saiu sem eu ter escutado nada… Pra falar a verdade, nem lembro mais da maioria das quatrocentas e tantas músicas que fiz, minha autocrítica se orgulha de ter composto apenas poucas.
Você tem ouvido a música pop brasileira e internacional? De quem você gosta e de quem você não gosta?

Minha neta tem me apresentado alguns funks e sinceramente não acho nada demais cantarolar sacanagens cadenciadas. A meninada hoje se expressa muito mais sem papas na língua do que jamais foi. Cada geração com o seu palavrão.
As questões do feminino também são retratadas nas suas músicas, em termos bem libertários. Como você tem visto o empoderamento das mulheres hoje?
Para mim as questões mais urgentes das fêmeas continuam sendo: ganhar o mesmo que os machos e ter direito ao próprio corpo.
Você tem feito músicas novas com Roberto de Carvalho? Planeja um novo álbum?
O casal tem várias inéditas, de repente podemos lançar um trabalho só com demos, que são os primeiros registros de quando o ‘santo’ baixa de verdade. Soa meio tosco mas vem direto da alma.
O que tem feito Rita Lee sair de casa? E o que faz Rita Lee ficar em casa?
Só quem me tira de casa por umas horinhas é meu neto Arthur, de dois meses. Melhor ainda quando ele vem me visitar. Estou num momento bicho grilo total, enfurnada na toca que é meu universo cheio de bichos e de plantas… Sair de casa pra quê?
O ano de 2018 também marca os 45 anos da gravação de seu primeiro álbum solo pós-Mutantes, que acabou engavetado, e circula pela internet e em reedições piratas. Há alguma possibilidade desse disco ser lançado oficialmente?
Não tenho a menor ideia quanto a isso… Lembro que o trabalho não foi lançado devido à baixa qualidade geral da produção, uma vez que foi todo gravado na base de LSD e, portanto, fora de órbita. Na época, não tive a preocupação de agradar a ninguém além de mim mesma.
Há uma nova geração que gostaria muito de te ver ao vivo, as tardes de autógrafos dos livros foram muito disputadas por jovens. Se jovens de todas as idades pedirem com jeitinho, vão te ver em um palco?
Queridos e queridas, seria humanamente impossível voltar a chacoalhar o esqueleto agora, aos 70 anos, como costumava e gostava de fazer. E se for pra cantar sentadinha feito múmia prefiro ficar em casa tricotando.
Tem algo mais que você queira falar?
Tomara que em 2018 a raça humana se conscientize melhor sobre como deve comandar os destinos do planeta. E que também tenha a humildade para aceitar que os animais estão muito mais próximos da imagem e semelhança de Deus do que nós.

https://www.youtube.com/watch?v=CTxiB4GcrxI 

 

https://www.youtube.com/watch?v=Dwwa7kzQhpM 

segunda-feira, 1 de janeiro de 2018

A retrospectiva


Depois que o ladrão entrou na minha casa, ainda as coisas seguem coisadas; Um monitor velho que estou usando as vezes resolve funcionar e aí estou aproveitando pra dar uma olhada no facebook.
Já neste horário a maioria das pessoas apagaram a churrasqueira e não tem jeito, nada mudou e amanha então...Prossiga em movimento, naturalmente cada um pode tentar mudar o seu movimento, fazer o melhor.
O tempo não existe !!!
Ou será que estou errado e enquanto estou preso a uma velha carcaça tenho que seguir correndo de um lado pro outro e daqui a pouco, tudo de novo; “ Onde é que cê vai passar o natal?
O Brasil só volta a funcionar depois do carnaval e ainda tem o desfile das campeãs, revivendo os blocos e logo férias do meio do ano e com eleições, copa, melhor é já começar a comemorar a chegada de 2019
Feliz 2019 para todos, que tudo se realize e que apaguem a churrasqueira novamente e comecem a fazer tudo igual  pra gente esperar o natal e comemorar 2020 que tá logo ali.
Eu não gosto deste negocio de retrospectiva de televisão e agora tem a sua retrospectiva de facebook mas no meu caso o fato mais marcante foi dias depois de ter arrombado portas e janelas e roubado a minha casa, o ladrão voltou, só que ele não esperava que eu estava em casa as duas da tarde tirando um cochilo, escutei um barulho só que abri a janela muito rápido e o cidadão percebeu e espantado olhou pra janela e deu de cara comigo. Eu sei que eu não devia interromper o seu trabalho, ele já tinha quebrado um pedaço do vidro e ainda estava analisando se valeria a pena entrar num quarto que não conseguiu entrar no outro dia. Ele olhou pra mim e falou: “Pensei que o bagulho tava abandonado”, meio indignado, afinal o que é que eu estava fazendo na minha casa naquele horário, estava tudo correndo bem pra ele e eu atrapalhei. Ele ainda reclamou; “ O que que foi” e aí eu saí atraz dele:” Então é você seu filha da puta!!! Mas o cara foi muito rápido, deve ter batido o recorde mundial dos 25 metros rasos e o de salto no muro com apenas uma mão...Duas medalhas de ouro! Faltou o po
dium, a bandeira do Brasil enrolada, as lagrimas durante o hino nacional e o dedinho apontando pro céu.
Agora faz quase um mês que não aparece, preciso arrumar a casa pra recebe lo novamente mas ainda não deu tempo; uma corrente de 220 nas portas e maçanetas quando eu sair e pensar em algumas surpresas mais, deixar umas 20 cascavéis soltas seria interessante mas eu não teria controle sobre elas, melhor pensar um pouco mais.

domingo, 5 de novembro de 2017


O dia do ladrão

Fui roubado, entraram na minha casa, quebraram o vidro e arrombaram um cadeado, já era previsto e tinha tirado já bastante coisa e guardado em outro lugar depois que entraram e roubaram a segunda bicicleta.
Desta ves levaram um monitor de computador bom, uma furadeira que uso muito e mais umas besteiras sem valor...mas não é nada bom chegar e encontrar a sua casa invadida, revirada, ou seja, neste país você não tem direito nem de morar, paga IPTU caro, impostos e não tem nada, não tem segurança alguma.
Ladrão roubando pobre, vai cheirar tudo rapido porque vai conseguir muito pouco.
Somos roubados de todos os lados e pior ainda quando a coisa é mais pra cima porque é isto que gera o caos aqui embaixo.
Mas tem o lado positivo, tive que gastar uma grana comprando cadeados, vidros pra concertar os estragos e pensei o seguinte; Ladrão gera re
nda e empregos indiretos porque a industria da segurança só crece, então já que moramos num país assim, se é que se pode chamar isto de país, na verdade não temos um país no momento, apenas um golpe nojento e um desgoverno que não reconheço, então devemos instituir o dia do ladrão, feriado nacional, vamos todos pra praia neste que pode vir a ser mais um feriado prolongado.
Parabéns ladrão a gente rala e você só mete a mão, a gente compra tudo novamente e você com toda paciencia espera a gente recuperar tudo, volta e invade a nossa casa de novo, nós somos os otarios e você o esperto...parabéns.

terça-feira, 26 de setembro de 2017

Radios on line; Uma boa opção

Pra quem gosta de musica brasileira de qualidade, esta radio é uma das melhores, esta apenas começando mas a ideia desta radio é ser uma alternativa a mesmice e varios projetos serão incorporados, dentro do universo musical brasileiro e logo mais internacional.
Tem muita gente boa por aí que precisa de um espaço, este pessoal desta radio faz parte deste seleto grupo de pessoas que querem mudar, colocar qualidade no trabalho.
Vale a pena conferir.
www.radioguapore.com.br


quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

Crise no Brasil? Uatz porra iz Diz???



Faz um tempo que não escrevo no blog, mas hoje me passou algo na cabeça quando perdi um pouco de tempo pra pegar um pedaço de árvore,tronco e começar a fazer ele virar uma mesa rustica no meu quintal.
Este tronco estava caído a duas quadras da minha casa,  foi atingido por um raio. No dia que arrastei ele, rolando até minha casa, o pessoal me olhava estranho, alguns davam palpites,como um cidadão que  disse que aquela madeira não valia nada que eu devia deixar o tronco ali, ele também me perguntou o que eu ia fazer o que respondi que nem eu sabia mas de uma maneira até educada disse pra ele não ter esta preocupação com o que eu ia ou não fazer com aquilo...Tem duas coisas interessantes sobre isto: pessoas são negativas e se você entrar na delas vai desistir sempre e pessoas se preocupam mais com o que você esta ou não fazendo que com elas mesmas...Portanto melhor é sempre desconsiderar ideias que não vão te ajudar,
Já passou mais de um ano e eu pensava em fazer uma mesa com o tronco mas fui ver o preço de um protetor para a madeira, algo para proteger do tempo e estava muito caro então este tronco ficou no quintal pegando chuva e sol e começou a estragar um pouco, mas ainda assim esta bom e deve durar uns tempos. fiz um buraco no cimento e chumbei ele,agora só falta a base da mesa que devo conseguir com mais alguma árvore caída.
Em São paulo já estão fazendo isto e com pessoas que entendem do assunto,madeiras de arvores caídas estão virando bancos de praças e tudo mais, o resultado é arte, economia e praticidade...sem falar no aproveitamento da lenha para fornos, eu pretendo construir um pra queimar cerâmica e já tenho bastante energia armazenada, quando começar a usar e acabar é só dar uma volta pelas ruas, olhar as caçambas,esperar as podas de arvores.
Este foi mais um ano difícil, mas na verdade o que é um ano senão que apenas uma convenção, uma medida pra gente ficar batendo cabeça e tentando enquadrar as coisas de uma maneira favorável e quando isto não acontece vem a frustração e as promessas de conseguir no próximo, enquanto o agora que é a hora de fazer algo pra melhorar...A cada minuto.
Este ano foi meio trágico e engraçado com parte do povo com medo de pessoas de vermelho e berrando contra o que pensam ser comunista, socialista, enquanto que comunismo nem na Rússia existe mais de certa maneira,Cuba também esta abrindo a sua economia. Pessoas ricas terem medo de um governo socializar um pouco ,distribuir um pouco a riqueza do país é compreensível porque muitos vivem do suor do trabalho escravo”, os escravos modernos, mal ou bem remunerados,,,agora pobre com medo de comunismo, se existisse, é a piada do ano.
Este tronco que vai virar uma mesa vem de uma arvore que caiu, a massa que fiz pra chumbar no cimento foi feita com cimento que caiu de um caminhão e sobrou meio saco no chão, eu peguei e estava guardado num canto, a areia veio de um grande resto de uma construção do meu lado que dispensaram assim como o cal...quando se fala que este país é muito rico é a pura verdade porque você acha quase tudo no lixo e mesmo numa megalópole como São Paulo ainda tem muita área verde que daria pra sustentar toda população se este recurso fosse usado.
O que eu penso disto tudo é que não há crise alguma e sim existe uma crise politica, uma crise de valores, e uma crise do sistema financeiro ou mais uma invenção de crise que depois de adotada pela mídia, alguns políticos, vira realidade, toma forma e chega ao povo,comercio e industrias.
A saída é reconstruir uma civilização que pense, com escolas que ensinem a pensar,duvidar, criar, ver e não robôs ou escravos somente para servir a uma casta dominante no planeta.
É...a gente tem alguma chance ainda, pelo menos a natureza mostra isto todo o tempo, mas pena que a maioria tá plugada 25 horas por dia. Tem uma piada que se a gente fizer uma adaptação pra estes tempos ela vai ficar mais ou menos assim: Um pescador levava um grupo de pessoas de um lado pra outro do rio quando uma delas perguntou  se sabia algo de Internet, Facebook,se tinha celular e tantos os outros aparelhos e aplicativos etc o pescador na sua simplicidade respondeu que não tinha e não entendia nada daquilo...Então o pescador fez uma pergunta; Você sabe nadar? Não respondeu a pessoa,então ele disse: É que este barco esta afundando e vamos ter que pular na água...

Banco feito com arvore caida no Parque Trianon São paulo











 
 Tronco virando mesa
















Agora é só esperar por mais um pedaço de  arvore para fazer a mesa e o acabamento final

quinta-feira, 12 de março de 2015

Andando pela cidade de São Paulo


Você pode cruzar a sua cidade todos dias e não olhar direito, não perceber muito a sua volta...pode ser que isto, esta atitude de não ver, por vários motivos, um deles é a correria atrás da “grana” do básico pra sobrevivência, também indiretamente acabe ajudando a maquina devoradora da cidade; O Cupim exterminador que derruba tudo para erguer coisas modernas e praticas para uma civilização que cada vês mais existe para produzir, servir, mesmo que não se de conta disto. O que esta acontecendo com o Parque Augusta é mais ou menos isto; Tudo pelo e para o dinheiro. O sistema capitalista esta aí e não é todo o problema, a invenção do dinheiro foi uma forma para simplificar e melhorar a condição do trabalho, da troca...mas virou o Deus absoluto. O problema não é o dinheiro e nem o capitalismo porque o ser humano não é igual ao outro e a competição faz parte do jogo, do divertimento, da liberdade mas quando isto chega ao ponto de passar por cima de tudo, do social, dos recursos naturais, culturas, da arte popular das ruas, dos mais fracos...então isto pra mim vira doença e corroe tudo, devorando o que vem pela frente sem acordos, não há muitas regras sendo respeitadas, a inexistência do Estado para proteger o homem a natureza, pra controlar o "jogo", deixando que as regras do mercado, o dinheiro façam as suas e empurrem goela abaixo do povo, sob a forma de acordos, brechas nas leis ou mesmo tomando cadeiras na politica e descaradamente comandando quase tudo, a mídia inclusive. Sempre eles inventam um chavão novo para seguir praticando o velho sistema de comando: O Neoliberalismo por exemplo que nada tem de liberalismo, na América latina se foram os coronéis mas não o controle da situação e isto é apenas um exemplo.
 Existem coisas que tem que ser derrubadas pra dar lugar pra outras mas não se deve ir derrubando tudo e transformando  só pelo lucro e ideias e padrões do que é viver com conforto, segurança etc.
Uma volta pela cidade de SP, passando por ruas que você pode cruzar todos os dias mas com um pouco de tempo pra “VER” A SUA VOLTA, vai te mostrar o que faz de verdade uma cidade ser mais interessante, melhor pra circular, sempre tem algo que você não viu, algumas como prédios condenados ou grafites, frases, pessoas de todos os tipos...de repente uma rua que nunca passou e ela nem parece ser parte da cidade, bares, “botecos” gente de gravata, gente perdida, gente se divertindo, a correria no “trampo”...nada parece fazer sentido mas tudo existe e segue enquanto o grande Deus DINHEIRO  a tudo espreita silenciosamente e depois devora sem piedade...e um “louco”sentado na rua, rola com a sua peruca brasileira.Vanderlei Prado
Equação basica de qualidade para todos

Templo no bairro oriental da Liberdade

Bairro da Liberdade
Centro

quarta-feira, 31 de dezembro de 2014

Feliz ano novo

“Há um Tempo para estar na frente,
um Tempo para estar atrás,
um Tempo para estar em movimento,
um Tempo para estar parado,
um Tempo para ser vigoroso,
um Tempo para estar exausto,
um Tempo para estar em segurança,
um Tempo para estar em perigo.
O mestre vê as coisas como elas são,
sem tentar controlá-las.”        Lao Tsé



Banda Trem/Musica: Quem

Av. Paulista

 

segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

Os limites atuais da distribuição de renda e riqueza no Brasil

Os 0,9% mais ricos do País detêm entre 59,90% e 68,49% da riqueza, sendo as principais fontes de acumulação de riqueza os fluxos de renda e herança

Róber Iturriet Avila (*) (*) Publicado originalmente no portal Brasil Debate.
    
A iniquidade na distribuição pessoal da renda é mensurada de distintas maneiras, levando-se em conta mais de um parâmetro. Os dados comumente difundidos dizem respeito ao fluxo mensal de rendimentos e a repartição da propriedade.

No Brasil, os dados de distribuição de renda são difundidos a partir da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD). Recentemente, a PNAD de 2013 foi divulgada retratando um avanço modesto em relação a 2012.

Nesse início de século 21, a apropriação de renda daqueles que estão na faixa dos 10% mais elevados passou de 47,44% em 2001 para 41,55% em 2013. Já aqueles que estão nas faixas 50% mais baixas passaram de 12,6% para 16,41%.


No último ano, houve uma pequena ampliação da taxa de pobreza baseada nas necessidades calóricas: passou de 5,29% em 2012 para 5,50% em 2013. Em 2001, a taxa era de 15,19%. Já a taxa de pobreza atingiu 15,09% da população. Em 2001, essa taxa representava 35,09%.

O Brasil não dispunha de informações de distribuição de riqueza. Houve apenas uma estimativa realizada em 2004, no atlas da exclusão social, e outra mais recente com dados do Tribunal Superior Eleitoral.

Entretanto, o auditor fiscal da Receita Federal, Fábio Avila Castro, defendeu sua dissertação de mestrado utilizando os dados da Receita, até então bastante restritos. Esses dados foram divulgados no site da instituição e a partir deles é possível estabelecer um quadro da repartição da riqueza no Brasil.

Há limitação nas conclusões a partir dos dados porque, em muitos casos, os bens imóveis declarados possuem defasagem de avaliação. Além disso, uma parcela do patrimônio está contabilizada em pessoas jurídicas.

Há que considerar também omissões. Por fim, cônjuges nem sempre declaram bens em separado. De todo modo, esse é o melhor dado de patrimônio do Brasil e é inédito.

Em 2012, 0,21% da população detinha 46,67% do patrimônio declarado, enquanto 0,69% da população detinha 21,82%. Assim, a riqueza dos 0,9% mais ricos representa 68,49% do total notificado.

Essa informação mostra que a concentração é muito superior aos Estados Unidos, um país com elevada concentração. Lá, cerca de 10% da população concentra 72% da riqueza.


É interessante observar que o patrimônio médio daqueles que estão entre os 0,21% brasileiros mais ricos é de R$ 5,8 milhões, mesmo que o corte esteja a partir de R$ 1,5 milhão.

Isso indica que a concentração do patrimônio está entre os indivíduos do topo mais restrito. Além disso, as faixas mais altas possuem, sobretudo, renda do capital, enquanto as outras se concentram no trabalho.

Na literatura, há referências do patrimônio daqueles que estão entre os 10%, 1% e 0,1% mais ricos. Como os dados disponíveis, é possível visualizar o 0,9% e o 0,21% do topo.

Mesmo que os declarantes de 2012 sejam 13,01% da população brasileira, esses dados permitem levantar hipóteses para a população total.

Como quem recebeu mais de R$ 1.499,16 mensais em 2012 e proprietários de riqueza acima de R$ 300.000,00 foram obrigados a declarar, deduz-se que aqueles que não declararam possuem riquezas menores do que os estratos superiores. A partir disso, foi realizado um exercício para estimar a repartição da riqueza.

Se, hipoteticamente, cada não declarante de imposto de renda possuir um patrimônio equivalente à média daqueles que estão na primeira faixa, a riqueza dos não declarantes somados seria de 0,08% do patrimônio total.

Considerando as duas primeiras faixas, a soma seria 1,06%, ao se contabilizar as três primeiras faixas, seria de 4,92%. Por fim, se o patrimônio médio dos não declarantes for equivalente à média das quatro primeiras faixas dos declarantes, o patrimônio daqueles seria 12,55% do total.

Nesse último caso hipotético, a média leva em conta os declarantes com bens até R$ 30.000,00, perfazendo mais de 13,8 milhões de pessoas. Nesse caso específico, os 0,9% mais ricos deteriam 59,90% da riqueza dos brasileiros. E os 0,21% mais ricos deteriam 40,81% do total.

Com base nesses quatro cenários levantados, os 0,9% mais ricos do País detêm entre 59,90% e 68,49% da riqueza dos brasileiros.

As principais fontes de acumulação de riqueza são os fluxos de renda e heranças recebidas.

No Brasil, o imposto de renda possui uma alíquota máxima de 27,5%. Na Suécia, na Alemanha e nos Estados Unidos, a alíquota máxima é de, respectivamente, 56,7%, 45,0% e 39,6%. Os impostos sobre herança e sobre ganhos do capital, no mesmo sentido, são menores no Brasil do que nos países mais desenvolvidos.

Contrapondo-se a evolução dos dados de concentração de renda com os de riqueza, há a sinalização de que o processo de redistribuição de renda esbarrou em limites, dado que os índices de pobreza e de Gini estão melhorando menos.

Ao que parece, para persistir distribuindo renda seriam necessárias alterações tributárias. Além do imposto de renda, os impostos sobre herança e sobre ganhos do capital são mais brandos no Brasil, não apenas em relação aos países desenvolvidos, mas também em comparação aos vizinhos da América do Sul.

A configuração da tributação brasileira favorece a concentração existente. Mudanças tributárias oportunizariam recursos para financiar educação e outros serviços públicos que permitem a ascensão daqueles que estão na base da pirâmide social.

(*) Economista e pesquisador da Fundação de Economia e Estatística (FEE-RS)


Arquivo

quinta-feira, 7 de agosto de 2014

Ideias para novas manifestações; " Mais hoteis de qualidade para passarinhos...JÁ


Dar uma passada pelo Facebook pode te deixar de varias formas pela manhã...você vira o revolucionário, capitão caverna, tem  mulheres que se transformam na Madre Tereza de Calcutá, no faxineiro de Facebook, dono; “ não quero mais ver isto e já falei que vou passar a guilhotina num monte de gente,amigos...CUIDADO. Um Facebukiânus pode até se transformar num cachorrinho fazendo de tudo pra chamar a atenção...pode transformar um amigo em inimigo pra se combater depois na rua; “Aí...saí de trás deste teclado e vem falar isto na minha cara”. O Facebook move um monte de ideias, pode também te fazer ganhar dinheiro, eleger um candidato ou mandar um politico tomar...café, mas hoje foi bom pra mim analisar a minha parte nefasta; Dando uma volta pelo quintal dei de cara com um sujeito, na verdade um pássaro,
Sabiá- laranjeira acuado e deu pra perceber que estava mal, tentei fazer algo, pegar e colocar num local seguro mas ele fugia, depois de mais algumas tentativas desisti e cheguei a conclusão e me conformei com a ideia que no ciclo da natureza ele iria mesmo virar comida de gato no meu quintal...então entrei e fui dar uma olhada rápida no Facebook e dei de cara com uma postagem sobre pássaros em gaiolas e outra que dizia algo como;”sozinho e com medo” e esta na hora me fez lembrar da “cara” de assustado do Sabiá no meu quintal sabendo que a morte estava por alí em algum lugar, só esperando o momento certo. Pensei rápido; este cara, o Sabiá, pode ter uma chance, vou trazer ele pra um local seguro e começar a ver o que da pra fazer. Voltei pro quintal e ele ainda estava por lá, mais uma corrida ele ficou sem muita saída perto do muro... aí apareceu um vizinho do lado e ficou dando uns palpites, consegui pegar o pássaro e...comi ele vivo alí na mesma hora...não, não...não fiz isto, daí porque cheguei a conclusão que não sou tão mal o suficiente, mesmo depois de levar uma bicada no dedo do indivíduo, o Sabiá, consegui pegar ele sem causar danos e a parte boa é que o vizinho levou ele para tratar, dar água, comida e esperar até o momento de soltar em segurança, isto deve levar alguns dias. Como este tipo de pássaro é grande eu nem sabia que se tratava de um filhote que caiu do ninho e segundo o vizinho a aza não estava quebrada e o “cara” tem muita chances agora, só vai ter que ficar um tempo ali no hotel pra passarinhos, improvisado.
Enquanto em nome de uma guerra estupida, duvidosa se matam milhares de pessoas e ainda mais agora na questão da Palestina onde estão massacrando civis... muitos médicos neste mesmo momento estão tentando ainda salvar estas mesmas vitimas da guerra, do transito, da violência urbana, Schindler na segunda guerra salvou milhares de judeus e eu e o vizinho pelo menos salvamos um passarinho... e um gato ficou sem almoço, é a vida.

sexta-feira, 20 de junho de 2014

A musica independente/Indaíz

 
O que se pode dizer sobre o futuro da musica independente? Fiquei pensando por algum tempo sobre isto e a resposta mais rápida que surgiu na minha cabeça foi; A musica independente não tem nenhum futuro... simplesmente porque ela é a própria salvação da verdadeira ideia da arte na musica, a expressão da liberdade e de certa maneira a falta de compromisso com um final feliz.
Eu mesmo tive varias tentativas de bandas me diverti muito mas não cheguei a um final feliz, não que isto não seja bom, nada contra o sucesso e muito menos contra o dinheiro mas quando a banda esta neste estagio intermediário entre o começo, ou já com um certo publico fiel e antes de ser conhecida por milhares de pessoas, explodir na mídia, muitas vezes é quando as melhores musicas acontecem. Neste “lugar” é onde as vezes nem a própria banda percebe que esta... na parte mais importante da sua obra, da arte.
Eu li em algum site por aí, o Stevie Vai dizendo que na sua época de escola costumava produzir pequenos shows onde eles faziam de tudo, improvisavam efeitos de iluminação etc.
As vezes o publico vendo uma boa banda tocando num bar ou mesmo para um publico de umas 1000 pessoas não imagina que esta mesma banda um dia estará tocando para milhares de pessoas que estarão se espremendo nas filas pra ver o Show...então no final das contas o que quero dizer não é que a musica independe não tenha futuro, pelo contrario, Nirvana, Alice Chains, o rock do Nordeste, de SP, a Jamaica já provou isto...sim a musica independente tem um grande futuro sempre, mas é bom saber que apenas um violão num canto da casa pode ser o começo e a salvação de tudo...Vanderlei Prado

SP/A musica independente
Indaíz
  "Indaíz", a junção de duas palavras (Indomável Raiz) que determina a tradição e a essência do indomável. Banda de Reggae com influencias de Bob Marley, Raul Seixas, Edson Gomes entre outras... Formada nos guetos da Zona Oeste de São Paulo em 2009. Em suas letras pesadas relatam a realidade resumindo o sentimento vivido na favela.
Em 2014 a “Indaiz” lançou seu primeiro álbum "FAVELA" com ...7 faixas autorais com participação de JR do AR2, gravadas no Estúdio Lamparina São Paulo-SP, produzido por Guto Gonzales, masterizado por Daniel Brita.
A banda possui dois clipes oficiais no youtube das musicas...
"Gueto sem luz." Link: http://youtu.be/bucxwZ6XRuA"
"Dread." Link: http://youtu.be/UTmzuAqbGYo
Produzido por MF Pró e direção Marco A. Beatrici
Álbum "FAVELA" disponível para download no http://soundcloud.com/Indaiz
 
Sandro Indaíz: Vocalista, Compositor e guitarra base.
Zazera Indaíz: Guitarra solo.
Dois integrantes que representam a Indaíz desde a primeira formação.




Fotos/
Shalon Adonai


Mutantes a banda

Mutantes a banda Eu comecei a minha carreira de “escutador” de musica muito cedo ouvindo musica italiana dos velhos e pesados discos...